Vamos investir na Cidade Romântica da Europa

E aí pessoal, como estão? Jogando muito? Espero que sim.( Acho que não, né!! Por conta da Pandemia). Espero que possamos voltar a jogar mais presencialmente e que tenha o DOFF esse ano….

Alguns avisos antes do texto de hoje:

1 - Eu pensei muito sobre o canal, reli alguns textos e decidi mudar o formato, para um texto mais enxuto e objetivo(Essa é a ideia) e eu juro e prometo que não falarei das regras, como sempre falo (mas acabo falando de alguma forma).

2 - Ainda estou em busca de parceiros, para me ajudarem no canal e quem sabe levar o Tabulando para a Twitch ou Youtube.

Hoje vamos falar de um jogo que eu estava ansioso para comprar e jogar e é do meu designer favorito.

Que tal investir em uma das cidades mais luxuosas e românticas da Europa? Monumentos e prédios de alto padrão nos esperam. Vamos à Paris.

Ficha Técnica

Designer: Wolfgang Kramer e Michael Kiesling
Jogadores: 2 a 4.
Mecânicas: Colecionar Componentes, Colocação de Peças, Construção de Baralho/Peças, Controle/Influência de Área, Movimento Ponto-a-Ponto, Negociação e Sistema de Pontos de Ação.
Duração: 100 Minutos.
Editora: Grok Games.

Resumo: Desde o seu anúncio eu já estava bastante interessado em Paris, um dos motivos é que a dupla Kramer e Kiesling é formada pelos meus designers preferidos. Paris chegou em 2020 pela Grok que trabalhou muito bem no jogo.
Em Paris, somos investidores e temos que adquirir prédios e monumentos pelos bairros da cidade e tudo isso tem um custo é lógico. Os turnos dos jogadores são curtos e é preciso gerir bem as ações para garantir o maior número de pontos de vitória e os prédios mais valiosos.

Como Jogar: Em Paris temos a opção de escolher um bairro e colocar nossa chave nesse bairro ou colocar a chave no largo do Triunfo. Colocando em um dos bairros, a gente recebe o dinheiro do local, mas na hora de mover a chave, só pode movê-la dentro do bairro em que foi colocada.
Se colocarmos no Largo do Triunfo, não ganhamos dinheiro mas podemos mover a chave pra qualquer bairro.
E para adquirir os prédios, movemos a nossa chave para o prédio que queremos pagando seu custo. Cada prédio nos dá um tipo de recurso e algum Bônus. Detalhe: Se estiver no prédio numero 2 e for para o prédio 4, você paga a diferença de custo entre os dois, mas num turno futuro por exemplo, não pode voltar para o prédio 3 ou prédio 1. Tem sempre que mover a chave para algum prédio seguinte. E os prédios te dão bônus que você pode andar na trilha e adquirir fichas bônus. Nessa trilha também você só anda pra frente, se pegar o Bônus número 10 por exemplo, você não pode mais voltar, terá sempre que pegar o bônus 11, 12 ou qualquer outro à frente do bônus anterior.

image
(Imagem Retirada do Site Board GameGeek)

História do jogo: Em Paris, vocês assumem o papel de ricos investidores imobiliários dos anos 1900s. Paris está no auge de sua transformação em uma das cidades mais bonitas do mundo. Depois de organizar com sucesso a Exposição Universal em 1889, coroada pela construção da Torre Eiffel, e comemorando o centenário da Queda da Bastilha, Paris passa por um período conhecido como “La Belle Époque”. A arquitetura de Paris criada durante esse período abrangeu desde Beaux-Arts, Neo-Bizantina, e Neogótica até Art Nouveau e Art Deco. É sua missão adquirir algumas dessas magníficas construções Parisienses no intuito de lucrar e investir no desenvolvimento e conservação de alguns dos mais icônicos edifícios e monumentos desta magnífica cidade!

Arte / Componentes: Quando abrimos a caixa, nos deparamos com componentes belíssimos e de alta qualidade. Os Tiles, o Tabuleiro e todo o resto foram produzidos com uma arte incrível do Sr. Andreas Resch. O destaque fica por conta do Largo do Triunfo que é colocado no Centro do Tabuleiro. Entre os prédios temos teatros e restaurantes e monumentos belíssimos muito bem desenhados. Os recursos e as chaves também são de alta qualidade. O Tabuleiro é lindo e ocupa um espaço grande na mesa. Parabéns ao artista mais uma vez e à dupla Kramer e Kiesling pelo trabalho artístico do jogo.

image
(Imagem Retirada do Site Board GameGeek)

Re-jogabilidade: A re-jogabilidade do Paris eu diria que é média, pelo menos fiquei com essa impressão, pois os tiles são posicionados sempre da mesma forma na trilha de fichas bônus e cada bairro de Paris tem os seus próprios prédios, além dos recursos serem posicionados no mesmo local. Então, a re-jogabilidade fica por conta da ordem em que os prédios serão sorteados e colocados nos bairros. Além disso, no setup, temos que tirar 3 tiles de prédios e formar três pilhas com os prédios, então no início do jogo nem sempre teremos prédios disponíveis no bairro que queremos investir e isso muda a cada partida. Há uma opção no manual de sortear as fichas bônus e os recursos aleatoriamente, o que aumenta o desafio e a re-jogabilidade de Paris.

Tema: O Tema certamente está presente no jogo. Logo de cara vemos o Largo do Triunfo e temos os bairros de Paris. A cidade é Cercada de bons Restaurantes e entretenimento e isso é colocado no jogo. Temos que lembrar que o jogo se passa numa época antiga (Anos 1900) e a cidade praticamente se transformou e Ricos / Milionários vieram à Paris para investir. Temos dúvidas de que o Tema está presente?

image
(Imagem Retirada do Site Board GameGeek)

Considerações Finais: Eu já estava de olho no Paris, desde o seu anúncio. É mais um jogo que quando colocamos à mesa, mesmo sem saber o designer, a gente fala “Tem cara de ser do Kiesling e Kramer”. Paris é um jogo com regras simples e fáceis, porém a sua estratégia para vencer é o grande desafio do jogo. Por isso acho que o seu peso no BGG poderia ser maior. Na data do post, seu peso atual é 2.72/5, eu daria 3.0. Quem não está acostumado com jogos, quem está entrando agora no hobby, pode sentir dificuldade em jogar, não para entender as regras, mas para colocar em prática o que planeja.
Eu recomendo demais Paris. Existem pontos fracos? Sim e um deles, pra mim, é sua re-jogabilidade e outra coisa é que o Largo do Triunfo apesar de ser belo e chamar a atenção sua presença não interfere no jogo, tanto é, que no próprio manual diz que podemos jogar sem ele.

image
(Imagem Retirada do Site Board GameGeek)

É isso pessoal, espero que tenham gostado do texto. Curtam, compartilhem e se inscrevam.
Um abraço, se cuidem e até o próximo Post.

5 Curtidas

Parabéns! Excelente análise e no ponto certo. Não muito longo, mas longe de ser superficial. Paris me interessa muito, não só pelo tema e interação, mas pela beleza de seus componentes na mesa, trazendo uma experiência agradável, principalmente, aos que já estiveram na linda cidade luz.

2 Curtidas

Jogamos duas vezes no tabletopia, e ficou uma impressão de jogo okay. Acho que a interface virtual atrapalhou e deixou o jogo longo. Queria jogar ele pessoalmente, tem cara de ser um jogo bem estilo clássico onde os jogadores que moldam a partida.

1 Curtida