Top 10 do Evo (2021)

E ae, galera! Chegando o fim do ano e lá se vem aquela enxurrada de listas de tops e irei ficar de fora? Lógico que não! #sssssimbora que vou mandar meu top10 geral!

Antes de começar, vou fazer um resumão do ano.
Segundo o app BG Stats eu joguei 430 partidas de 136 jogos diferentes. Dessas 430, 172 eu joguei online e 258 foram presenciais. Para uma jogatina durante a pandemia, acho que tá de boa hehe.


BG Stats com os gráficos de 2021

Consegui bater a meta de 10 jogos 10x e só teve um deles que eu joguei online, que foi o Carnegie (exatas 10 partidas). Já Gloomhaven ficou disparado em primeiro com 36 partidas (e só não foi mais porque perdemos o fôlego e acabou que não jogamos mais desde outubro :/). A lista dos 10 mais jogados está na imagem abaixo.


Os 10 jogos mais jogados, batendo a meta de jogar 10 jogos 10 vezes no ano! :partying_face:

Incrivelmente, 5 desses estão presentes na lista dos favoritos. Não achei que fosse possível jogar mais vezes os meus favoritos, já que a maioria são jogos com peso acima de 3.5 e o normal é jogar mais vezes os jogos mais leves e rápidos.

CRITÉRIOS

Eu já tinha feito um top 10 duas vezes, mas - dessa vez – vou usar um critério diferente das anteriores. No total, eu uso 3 critérios que são:

  1. Ter jogado pelo menos 3x. Já aconteceu de eu jogar uma vez e não curtir o jogo e, após a segunda ou terceira partida, eu acabei gostando do jogo (caso do Marco Polo II, The Crew e GWT) e também já teve jogo que joguei várias vezes e acabou que enjoei um pouco do jogo (Carnegie e Beyond the Sun). Por isso, uso esse critério para poder separar os jogos que só joguei uma ou duas vezes e não os colocar para depois tira-los pouco tempo depois;
  2. Ter jogado presencialmente. Pelo mesmo motivo de não correr o risco de ter uma impressão enviesada, preferi tirar os jogos que só joguei online. Já rolou de eu ter partidas extremamente longas e com um péssimo manuseio dos componentes pelo único motivo da versão online não ajudar (Conquistadores de Midgard que o diga…);
  3. Experiência da mesa. Percebi que não adianta eu estar curtindo ao máximo a partida sozinho, enquanto que o resto da galera não estar nem com metade da minha empolgação ou eu achar o jogo massa e ainda sim, a sensação de frustração bater no final da partida (e ocorrer mais de uma vez). O que vale é que todos estejam curtindo o jogo junto comigo e isso fez alguns jogos caírem em relação aos tops passados.
    OBS: Antes esse último critério era eu escolher tal jogo ao invés do outro caso ambos estivessem prontos para serem jogados. Vou manter esse critério para auxiliar nas escolhas.

Já vou avisando que esse negócio não é fácil nem a pau! Já alterei essa lista várias vezes e nunca fico 100% satisfeito. Gostaria de colocar uns 10 jogos na posição 6 e fixar somente 5 no top :rofl:. Em relação ao ano passado, que tinha feito um top 10 com critérios bem definidos, 3 dos 4 primeiros se mantiveram no topo e o 10º permaneceu onde estava. Ou seja, chegaram 6 novos jogos endoidando minhas preferências! Cada vez é pior decidir quem fica e quem sai :sweat_smile:
Vamos lá começar e, como é de praxe, vou iniciar em ordem decrescente.

DÉCIMO

De novo, #rallyman-gt fica carimbado na décima posição! É um jogo que eu me divirto muito jogando e encontrei o grupo que também curtiu muito o jogo. Já estamos conversados de começar um torneio com várias partidas e já quero que comece isso logo! Além do mais, foi o jogo que eu consegui jogar com meu pai. Não tem como deixar de fora essa belezura!

NONO

Era muita injustiça não ter #lords-of-xidit no meu top 10! Eu me divirto demais jogando-o e sempre vejo TODO MUNDO se divertindo tanto quanto eu! E é independente de vencer ou não. Esse jogo a galera chora de rir mesmo ficando em último.

OITAVO

O #teotihuacan-city-of-gods encaixa na história dos jogos que eu joguei a primeira partida online e não achei isso tudo (apesar de já ter gostado do jogo), mas após jogar presencialmente e – principalmente – jogar com todas as expansões fizeram o jogo crescer muito, mas muito mesmo! Conselho do Evo: joguem Teotihuacan com TODAS as expansões (não precisa me agradecer depois haha)

SÉTIMO

O #viscondes-do-reino-ocidental chegou na maciota e virou um vício no grupo! Sempre que acabava uma partida era “Vamos outra? Aproveitar que o setup tá montado…” e, nessa brincadeira, eu fiz 9 partidas em menos de 30 dias! E eu sempre ficava “Vamos jogar outro, não?”, mas agora que estou há meses sem joga-lo, queria que o vício batesse de novo. Morrendo de vontade de jogar o MELHOR DECK BUILDING que existe (e quem discordar é clubista :rofl:)!

SEXTO

Jogo que utiliza os dados de forma inteligente já tem meio caminho andado para me ganhar e com #tekhenu-obelisco-do-sol não foi diferente. A solução de ter uma seleção de dados que vai se alterando através das rodadas eu achei muito massa! E é bondimais fritar o juízo para conseguir encaixar sua estratégia e se adaptar com o que é apresentado pelo jogo nas rodadas que se seguem. Gosto demais do jogo e defendo sem medo quando alguém fala dele kkkk

QUINTO

Minha relação com #lisboa tem uma história engraçada… Um amigo meu tinha o jogo (entre 2016 e 2017) e nunca conseguia gente para jogar. Acabou vendendo sem nem destacar os tiles dos punchboards. Acabei jogando pela primeira vez em 2019, morrendo de sono e acabei a partida com dor de cabeça. Passei mais de 2 anos sem jogar uma partida sequer e acabei pegando uma cópia numa Math Trade. Fiquei de jogar uma vez e tentar trocá-lo ou vendê-lo (jogo quando chega na coleção tem que ver mesa, pelo menos, uma vez e logo! :stuck_out_tongue_winking_eye:). O que aconteceu? Fiquei doente (e recebi “férias forçadas”), uns amigos passaram a vir jogar na minha casa e acabamos jogando 7 partidas de Lisboa em menos de 20 dias! O jogo que parecia ser extremamente complicado, virou um partygame pra mim. Vício total e subiu do top limbo pro top 5!

QUARTO

Aqui entra um jogo que eu sei que vão falar/tirar resenha de mim. #scythe sempre esteve no meu top 1 e nada o abalava mesmo eu falando que jogava menos vezes do que eu gostaria. Mas, após as últimas partidas, eu percebi que somente eu que fazia questão de joga-lo e, durante as partidas, eu era o único empolgadíssimo na mesa. Decidi fazer um teste e esperar que alguém me chamasse para joga-lo… Resultado: só joguei 3x no ano e a última partida foi em agosto (com 3 novatos que até hoje nem tocam no assunto). Ainda gosto muito do jogo (e é isso que o segura no top), mas não sinto reciprocidade das outras pessoas dos vários grupos que jogam comigo :cry:. Gostaria que não fosse dessa forma, mas é o que temos para hoje.

TERCEIRO

Aqui permaneço com #anachrony-edicao-essencial na terceira posição porque é outro jogo que não me canso de jogar. Já joguei com todas as facções do jogo base e ainda sinto que posso explorar mais do jogo sem colocar nenhuma expansão. Indico o jogo nos grupos, converso sobre estratégias e não vejo a hora de jogar mais e mais vezes para esgotar o jogo base e partir para gastar dinheiro pra caraio comprar as expansões!

SEGUNDO

Aqui, vou dar uma “roubadinha” e explico o motivo. Eu prefiro o #brass-birmingham (o vejo como uma versão 2.0, com mais variabilidade de início de jogo e caminhos estratégicos), mas acho o #brass-lancashire muito bom também e jogo ambos com muita empolgação. Poderia só deixar o Birmingham aqui, mas seria injustiça deixar o Lancashire de fora já que ele também é um dos meus favoritos e a versão que eu tenho porque não consegui comprar o Birmingham quando ele tava barato :rofl:. Ou seja, se eu fosse fazer um top só com minha coleção, o Lancashire estaria numa posição alta e seria incongruente ele não estar aqui também.

PRIMEIRO

Pois é… Esse é mais um que eu joguei em 2019 e não achei isso tudo, mas depois de um ano iniciei uma campanha (com o jogo em português) e o jogo simplesmente virou o jogo mais jogado do ano! Como que é bom esse jogo e as experiências que ele proporciona! Aquela pitadinha pequena de sorte/aleatoriedade é o suficiente para se juntar à mecânica de evolução dos personagens e da história, que nem é lá essas coisas, mas estamos tão imersos no jogo num nível que é sensacional tudo o que vivemos nela! Não tem pra onde, #gloomhaven é o jogo que me trouxe os momentos mais memoráveis no hobby e que iremos nos lembrar por muito tempo!

image
Top 10 - Versão 2021

MENÇÕES HONROSAS

Deixo aqui as menções aos jogos que estavam no top 10 do ano passado e ficaram de fora, por algum motivo (um deles saindo enquanto eu redigia esse texto :rofl:).
O #barrage é o primeiro pois ele era um dos primeiros na última lista e resolvi tira-lo porque ultimamente eu não estava tão empolgado de jogar quando me chamavam ao ponto de ter recusado uma partida (a galera até hoje tira onda dizendo que vão falar pro Gustavo do Gambiarra que eu rejeitei uma partida de Barrage kkkk) para jogar uns jogos mais leves (tava morrendo de sono na hora :O).
O #conquistadores-de-midgard é um jogo que eu tinha na coleção e sempre batia a vontade de vender ou trocar. Mas, todas as vezes que jogava, eu me empolgava de novo. Nessas idas e vindas acabei fazendo uma troca toda errada e o jogo sumiu das minhas jogatinas. Mas ainda gosto e queria jogar novamente :sweat_smile:
Já o #eclipse-second-dawn-for-the-galaxy é um dos casos que eu só joguei online, mas eu sou doido para jogar presencialmente e ainda farei a loucura de comprar esse jogo. Se meus grupos o aceitarem bem, ele tem tudo para voltar pro top 10 e nas posições mais altas. Não vejo a hora de ter minha cópia e lascar minha carteira :rofl:
Enquanto que #trismegistus-the-ultimate-formula #el-grande e #russian-railroads estão no caso das poucas jogatinas, inclusive este último também entrando no caso de só ter jogado online. El Grande acabei vendendo minha cópia porque gostei mais do El Capitán e ambos competem pelo mesmo espaço na minha coleção.
E o #age-of-steam é outro jogo que tem tudo para entrar no meu top e só não está porque só joguei uma partida até agora. Quem sabe ele entra – junto com Eclipse – ano que vem?

Meu Top 10 - Versão 2020, como comparativo

  1. Scythe
  2. Brass Birmingham
  3. Anachrony
  4. Barrage
  5. Trismegistus
  6. City of the Big Shoulders
  7. Eclipse Second Dawn to the Galaxy
  8. Conquistadores de Midgard
  9. Russian Railroad
  10. Rallyman GT

E aqui chego ao final do meu top 10. Será que ano que vem alguma coisa muda (principalmente no top 4 que é mais consolidado)? Consigo jogar Eclipse e Age of Steam? O que acharam da lista, compartilho algum jogo na lista de vocês??? Comenta aí!

8 curtidas

Bela lista Evo. Só acho que Lords e Scythe não deveriam estar nessa lista… e aí dava pra colocar Barrage e Trismegistus que você tirou.

E cadê Trickerion seu traíra?

1 curtida

Tirar Barrage e deixar Scythe? Seus amigos estão certos em querer jogar outra coisa hehehe

Esse ano vais jogar um certo protótipo umas 10x pra poder figurar nesta lista no ano que vem :wink:

Brincadeiras a parte, tá muito legal essa lista, Viscondes conheci no fim do ano e, realmente, tem muito potencial.

2 curtidas

HAHAHAHAHAHAHA
Trismegistus você não quer jogar! Tem mais de ano que não jogo… Nem lembro como é a caixa do jogo!

Respeite Scythe e Lords of Xidit!!!

Quero ver a briga entre Dragon Fest e Rio 1808!!!

Scythe é bom, rapaz! Os outros é que estão errados!!! E vou dar mais chances ao Barrage esse ano!

1 curtida

Muito legal, Evo!!
Me chama pra jogar scythe que também fico super empolgando e você mantém ele no topo que merece!

Agora sim um comentário top! hahahaha

Eles não precisam brigar (dá pra empatar até no top 1). Já começa tirando Scythe que rapidinho tu acha o próximo a cair (eu chutaria Tekhenu :rofl::rofl:).

Só que pra começar a fazer as alterações, tem que começar a jogar :grin:

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Gostei muito do Tekhenu! Vai ser difícil tira-lo do top, viu? haha
Vou acabar colocando um monte de jogo com alocação/seleção de dados no top10

Te entendo. Vejo que tenho uma predileção por worker placement, mas com dados Marco Polo ainda é o preferido.
Creio que tu já jogou o Tabernas do Vale Profundo. Bom demais!

Cara, Marco Polo é genial! Mas eu não consigo jogar bem, é impressionante como eu acabo me frustrando do meio pro final da partida… Agora, Tavernas eu joguei uma vez só e me apaixonei! Muito gostoso e temático o deck building junto com a alocação de dados. Infelimente o jogo é muito caro, aí não comprei.

1 curtida

Um amigo comprou o Tabernas em 2019. Ainda não viu mesa. Só joguei no TTS, infelizmente.

Marco Polo é só chamar que embarco, no 1 eu oscilo entre 90 e 50, no 2 é bem mais fácil manter acima do 80.

Meu máximo o MP2 é de 98 pontos enquanto que meus amigos passam dos 100 facilmente. Inclusive, um deles chegou em 150 hahahaha. Nunca joguei o MP 1

1 curtida

O 1 eu acho mais tranquilo de jogar por ser mais limpo e viajar te permite abrir mais a building de ações.
O 2 tu já tem muita ação pra alocar desde o início, o que facilita.
Vamos embarcar no BGA :grin:

1 curtida

Lancashire > Birmingham <3

Lanca exige muito mais de leitura da mesa do que o irmão mais novo, além de ser mais punitivo e tenso. Gosto muito do Birm (sempre coloco os dois na mesma posição), mas não tem jeito… eu sempre vou preferir jogar o Lancashire com mesa cheia.

Cara… Aqui nas nossas jogatinas, ambos os jogos exigem leitura de mesa e são punitivos por igual.

Lanca tem menos opções tanto em rotas quanto em indústrias, então não tem como ser tão punitivo quanto… Fora que, em Lanca, você precisa saber reconhecer sua função no jogo ou você não vai jogar de maneira muito eficiente, já que vender não é tão fácil quanto em Birmingham. Não me entenda mal, eu gosto dos dois, mas acho Birmingham a versão Nutella do jogo (gosto de jogar quando quero algo mais amistoso ou quando tem novato na mesa).

Não estou entendendo mal e, aqui, o Birmingham não é a versão Nutella. Nas partidas daqui ambos são bem punitivos e cheias de rasteiras (inclusive, tem muito mais rasteira no Birmingham por causa da cerveja) e já venci em ambos mudando de estratégia e parando de vender para só disponibilizar carvão+ferro.
O que vejo de diferente nos dois é que o Birmingham te dá mais possibilidades de estratégias diferentes. Você pode combinar produtos manufaturados com cerâmica ou algodão; pode só focar em algodão; pode focar mais em carvão, ferro e cerveja e várias outras formas que já foram vencedoras aqui. Já no Lancashire, por aqui, é só vender algodão; focar em carvão, ferro e porto ou fazer um mix. Já tentamos focar nos estaleiros, mas ninguém venceu ainda kkkkk. Eu já venci construindo somente um estaleiro e focando em algodão.

Outra coisa que me faz preferir o Birmingham, é o setup variado. Já tivemos partidas com dinâmicas bastante diferentes só pelo simples fato do mercado do Sul não ter nenhuma demanda. Todo mundo se espremeu no Oeste e no Norte. Essa partida foi bem diferente de todas as outras e bem memorável. Mas qualquer partida de qualquer Brass é memorável por aqui (normalmente o vencedor ganha por pouquíssimos pontos de diferença) hahaha

Só nisso já deu pra ver que a galera não tem muita experiência. Mas tudo bem,… cada um com sua opinião sobre qual é melhor. Porém, se você mesmo diz que o Lanca tem menos opções é porque, invariavelmente, é mais punitivo por te dar menor opções.
"

Como assim, ter menos opções é ser mais punitivo? kkkk Eu considero punitivo quando um jogo não te dá margem para erros. Isso é independente de ter muitas ou poucas opções. Do que adianta ter muitas opções se um erro não vai poder ser consertado caso você escolha outro caminho?